Conheça a FAEMG

A FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) defende os interesses dos produtores rurais do estado.

Crédito Rural

Veja informações sobre os financiamentos destinados aos produtores rurais, cooperativas ou associações para fomentar a produção e comercialização de produtos agropecuários.

Meio Ambiente

Acesse informações técnicas sobre a gestão ambiental na atividade agropecuária em Minas Gerais.

Informações Jurídicas

Acesse os documentos disponibilizados pela Assessoria Jurídica para auxiliar os produtores rurais.

Contribuição Sindical
Leiloeiros Rurais

Veja todas as informações sobre os leiloeiros rurais do estado de Minas Gerais.

Compartilhe

Campeões ATeG: live apresentou os segredos dos melhores cafés

SEMANA INTERNACIONAL DO CAFÉ
ESCRITO POR SEDE, EM BELO HORIZONTE
20/11/2020 . SENAR

O público da Semana Internacional do Café – SIC 2020 teve a oportunidade de conhecer os segredos por trás de alguns campeões do 4º Cupping de Cafés Especiais do Programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG Café em live feita na tarde desta sexta-feira (20), no estande virtual do Sistema FAEMG.

Apresentada por Marcos Reis, gerente regional do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em Viçosa e Q-grader, a live reuniu Marcelo dos Santos, campeão da categoria Natural do Sul de Minas e campeão geral do concurso; José Adilson Cândido Correa, campeão da categoria Natural do Cerrado; Jovino Cordeiro de Paula, campeão da categoria Natural da Chapada de Minas; e Joel Gilmar Emerich, campeão da categoria Natural das Matas de Minas. Os cafeicultores foram enfáticos ao elogiar a transformação causada pela chegada do Programa ATeG na fazenda e a dedicação dos técnicos de campo.

Todos são pequenos produtores familiares, de altitudes entre 1100 e 1250 metros, o que, para Reis, já favorece a qualidade da bebida. O gerente também ressalta o poder do conhecimento: “é importante não parar de aprender e buscar capacitação, porque o resultado vem. Tem que ter qualidade na pós-colheita, porque o grão sai da planta bebida mole, mas vai perdendo qualidade ao longo do processo”, aconselhou.

A partir do alto à esquerda, em sentido horário: Marcos Reis; Joel e o filho Enos; Jovino e o filho Jolly; Marcelo e Leandro; José Adilson; e Maurício Capistrano

Segredos

“Eu tinha dúvidas se poderia participar do ATeG porque meu café é orgânico. Começamos a trabalhar ano passado. Colhemos o lote campeão com praticamente 90% dos grãos maduros e secamos em terreiro suspenso, com secagem lenta. Também fizemos um mapeamento do Grau Brix para determinar a doçura e acertar o ponto ideal para colheita” – Marcelo dos Santos, que participou acompanhado do técnico de campo Leandro de Freitas

“Há cerca de oito anos descobrimos o potencial do nosso café e começamos a participar de concursos. Sempre tivemos preocupação com a pré e pós colheita e com a análise de solo e foliar, atendendo as necessidades da planta. Para esse lote que ganhou, contamos com a chuva, que veio na hora certa, e com uma colheita feita na hora certa e com em torno de 1 ou 2% de cafés verdes. Realmente, esse café ficou bom demais” – José Adilson Cândido Correa, participou acompanhado da filha Alessandra, que já o ajuda na propriedade. Contam com a assistência da técnica Juliana Lourenço

“Eu acho que a qualidade vem da lavoura: com o cuidado certo, o grão vem mais graúdo e doce. Investimos na adubação e no manejo, colhemos só os grãos maduros e fermentamos por cinco dias. Acredito que, no ano que vem, com a ajuda do ATeG e muito trabalho, o lote será ainda melhor e vamos buscar uma classificação boa novamente” – Jovino Cordeiro de Paula, que já conta com a parceria do filho Jolly no manejo da plantação. São atendidos pelo técnico Juliano Miari

“Estamos trabalhando com café orgânico e tem três anos que não usamos nenhum tipo de defensivos ou adubos químicos na lavoura, estamos tentando adotar o sistema agroflorestal. O microlote vencedor veio de uma altitude mais baixa, mas ainda assim ajudou muito na qualidade do café. Esses grãos secaram no terreiro suspenso, foram lavados, colhemos na hora certa. Depois que a ATeG entrou, mudou tudo, estou muito feliz. Estamos fazendo outras melhorias, recuperando as nascentes, conscientizando as novas gerações. Temos que preservar porque moramos num lugar muito privilegiado” – Joel Gilmar Emerich, que participou com o filho Enos e o técnico de campo Sebastião Brinate.