Conheça o SENAR

O SENAR MINAS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional de Minas Gerais) é responsável pela capacitação profissional e promoção social do produtor, do trabalhador rural e seus familiares.

Cursos

O SENAR MINAS oferece mais de 300 cursos nas áreas de Formação Profissional Rural e Promoção Social, gratuitos e voltados para capacitação e qualidade de vida do produtor e trabalhador rural e suas famílias.

Instrutor Mobilizador Licitações
Compartilhe

Apicultura em família em São Domingos do Prata

CASO DE SUCESSO
ESCRITO POR LÍLIAN MOURA, DE VIÇOSA
25/05/2022 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR

Há mais de 25 anos Nilton Célio Martins é apicultor em São Domingos do Prata. Ele começou na atividade com dois irmãos e iniciaram o trabalho com 10 colmeias. “Me interessei pela apicultura porque queria uma fonte de renda no campo e ela é uma atividade viável para pequenas propriedades como a nossa”, contou.

Atualmente, Nilton tem 120 colmeias e produz cerca de quatro toneladas de mel por ano. Participante do programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Apicultura do Sistema FAEMG, ele comemora os resultados do acompanhamento do técnico de campo Vailton Lima na atividade. “O ATeG veio ao encontro do que estávamos precisando. Trouxe ganho de produtividade, novos conhecimentos e a seleção de rainhas”.

Tatiana e Nilton com a unidade móvel de melhoramento genético do ATeG Apicultura

O trabalho no apiário é compartilhado com a esposa Tatiana Guimarães Ferreira, que ingressou na atividade há seis anos. Ela contou que começou por acaso, quando foi ajudar o marido em uma captura. “Estava com muito medo das abelhas, mas não desisti. Depois fui pegando gosto e hoje estou sempre no apiário”. 

Assim como Nilton, Tatiana também vê o ATeG como um grande aliado. “Recebemos muito conhecimento na teoria e na prática”. O casal participou do Projeto de Melhoramento Genético em São Domingos do Prata e aprovou a iniciativa pioneira. “Essa tecnologia aplicada à genética é tudo! E, fazendo e acompanhando de perto, a gente fixa mais as técnicas que eles passaram. Quanto mais as nossas abelhas produzirem, mais teremos lucratividade e qualidade, e o cuidado na produção e no manejo valorizam o nosso produto”, comentou a apicultora.

Tatiana é responsável pelas venda nas feiras livres

Novos mercados

Grande parte da produção do casal é vendida para entrepostos exportadores de mel, mas eles também estão investindo na venda direta ao consumidor para agregar valor ao produto com a marca Mel Tataty, criada há cerca de três anos. A comercialização acontece em feiras livres. “O conhecimento técnico e as boas práticas são reconhecidos pelos clientes na qualidade do meu. É sempre bom ouvir que o nosso mel é bom e puro. Muitas pessoas compram para experimentar e voltam para levar mais. Isso é muito gratificante”.

Além do mel, a marca também tem própolis, cachaça de mel e a novidade inspirada em um dos cursos do SENAR que Tatiana participou, que é o sabonete de mel. “O curso não era sobre mel, mas aproveitei os ensinamentos, busquei mais conhecimento e desenvolvi o produto”. Os preços dos produtos variam de R$7 a R$25.

Sabonetes são novidade na produção

Atuação socioambiental

Para o casal, o trabalho com as abelhas é mais que uma alternativa de renda. Nilton destacou que eles estão atentos à importância desses insetos para a saúde do meio ambiente e para a agricultura. “A apicultura é um ato de preservação ambiental”, declarou.  Os produtores são entusiastas do turismo rural e são agentes formados pelo Programa Agente de Turismo Rural, oferecido pelo Sistema FAEMG na região. Para Nilton, a apicultura e ostras atividades agrícolas, além das belezas naturais, podem ser grandes atrativos para os turistas e representar ganhos sociais, econômicos e ambientais para a região.

O apicultor também é um dos fundadores da Associação de Apicultores de São Domingos do Prata, entidade cooperada do Sistema FAEMG que completa 23 anos em 2023 e auxilia o crescimento e a profissionalização da atividade na região. “Fizemos a associação porque precisávamos estar organizados para usar as áreas disponibilizadas por uma empresa de celulose da cidade, e essa foi só a primeira conquista. Depois, conseguimos construir a casa de mel, que funciona para a extração. Nossa intenção agora é investir em maquinário para envasamento de mel na unidade”, contou.

Outros produtos da marca do casal