Compartilhe

Renda de cafeicultores de Carmo da Cachoeira aumenta em 424%

RESULTADO
ESCRITO POR KAROLINE SABINO, DE LAVRAS
30/11/2021 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR, FAEMG

O produtor Edvaldo de Jesus Vilela comemora os excelentes resultados alcançados na propriedade depois dos atendimentos do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Café+Forte, oferecido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES, em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Carmo da Cachoeira. Em apenas 18 meses, o cafeicultor aumentou a renda bruta em 424%. “O ensinamento do ATeG Café+Forte é enriquecedor. Neste um ano e meio de atendimento, nossa vida mudou”.

O filho dele, Otávio Henrique Vilela, é o seu braço direito na fazenda Amoras, em Carmo da Cachoeira. “Quando ele começa a conversar com o técnico, a prosa vai longe. A minha experiência e as novas técnicas que meu filho está aprendendo se complementam”. O produtor recebeu a placa de identificação do programa. “Mais uma vez, o Sistema FAEMG/SENAR/INAES/SINDICATOS está ao lado do produtor rural. A placa é excelente, deixa a propriedade mais bonita”,

O técnico de campo que os acompanha, Cláudio Afonso Rosendo, explicou as técnicas de manejo utilizadas. “Fizemos os tratos culturais no momento certo. Trabalhamos com o sistema de poda, com uma adubação bem equilibrada com base na análise de solo, com o controle de mato, com os foliares nutricionais e o controle de pragas e doenças. Estes fatores são fundamentais para o sucesso e o produtor seguiu todas as recomendações. O sucesso da família é o meu sucesso”.

Resultados

Na safra 2019/2020, o cafeicultor produziu 38 sacas em 1,3 hectares. Em 2020/2021, ele colheu 110 sacas na mesma área. Sendo assim, comparado com a safra de 2019/2020, a produtividade aumentou em 189%. Com o aumento do valor da saca comercializada, houve um incremento de 424% na renda bruta, e a lucratividade do biênio foi de 49% em relação à renda bruta. O sucesso dos números ajudou na decisão de plantar 2,5 hectares de café da variedade mundo novo, prevendo um novo aumento na receita da atividade. Além disso, a família quitou todas as dívidas e conquistou um transportador pneumático.

“Só não muda de vida o produtor que não quer participar do ATeG Café+Forte. São tantos benefícios que é difícil citar. Muitas vezes, contratar um profissional para acompanhar a lavoura é inacessível, e o programa nos proporciona isso gratuitamente. Não é só um atendimento, é uma assessoria geral. Ele nos guia para os próximos passos. Espero aumentar cada vez mais a produtividade e melhorar a qualidade do café. Tenho certeza que, com o ATeG Café+Forte, vou colher bons frutos”.