Compartilhe

Sindicatos aprovam mudanças nos papéis das entidades

REUNIÃO
ESCRITO POR FLÁVIO CHRISTO, DE JUIZ DE FORA
29/07/2022 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR, FAEMG

O Sistema FAEMG realizou um treinamento com representantes sindicais da região de Juiz de Fora. Foram três dias de muito conteúdo e aprendizado, que trataram do novo momento pela qual a Federação vem passando. No primeiro dia, presidentes de sindicatos passaram pela atualização. No segundo e no terceiro dia, o público foi formado por mobilizadores. Estiveram presentes o 1º vice-presidente do Sistema FAEMG, Renato Laguardia, o gerente regional em Juiz de Fora, Wander Magalhães, a gerente de Formação Profissional e Promoção Social, Liziana Rodrigues, e a gerente pedagógica do Sistema FAEMG, Cristiane Trigueiro.

Renato Laguardia esteve presente no primeiro dia e enfatizou a importância do momento. “Aproveitamos a oportunidade para mostrar nosso trabalho para os presidentes presentes, para explicar o que já fizemos e o que ainda vamos fazer”. Ele explicou que compreende o momento pelo qual as entidades cooperadas vem passando, mas que a busca por novos associados deve partir dos sindicatos, oferecendo serviços de qualidade. “Temos que pensar que o produtor, para se associar, tem que ver o SPR como uma vantagem, uma comunidade em que ele percebe ser bom fazer parte. O Sistema FAEMG tem muito a oferecer. Temos que mostrar a esse produtor que somos parceiros e queremos o desenvolvimento do campo”.

Renato Laguardia

Novos papéis

De acordo com Wander Magalhães, essa capacitação serve para apresentar aos sindicatos uma nova frente de trabalho, que pretende aumentar a atuação do sistema. “Estamos trazendo esse novo personagem mais atuante na ponta. O agente de desenvolvimento rural não vai apenas mobilizar cursos, mas procurar produtores que possam formar grupos de ATeG, buscar demandas para o sindicato que possam ser sanadas por produtos e serviços da FAEMG+ e Faemg Digital que são de necessidade extrema do produtor e que, muitas vezes, no município ele não tem”.

Wander Magalhães

Liziana e Cristiane explicaram que esse é um trabalho que vem sendo desenvolvido em todas as regionais do Sistema, onde é realizado um diagnóstico sobre a atuação das entidades cooperadas junto ao produtor rural. A ideia é capacitar essas pessoas para assumirem uma nova função dentro do sistema, a de agente de desenvolvimento rural. “Vai mudar o perfil ético-profissional. O mundo está mudando e o sistema também. Queremos que essa mudança seja em todos os elos. O mobilizador, antes, fazia um trabalho mais restrito; hoje, queremos que ele identifique os gargalos dos produtores rurais e que ele possa levar as ferramentas que nós temos, que são muitas, e que podem causar melhoria das condições de vida, de trabalho, da eficiência produtiva, da qualidade do produto”, disse Liziana.

Liziana Rodrigues

Cristiane Trigueiro disse que, para que as mudanças sejam efetivas, é necessário mudar mentalidades, inserir novas capacidades e atualizar todos os participantes do sistema sobre os desafios e condutas no mundo atual. “Estamos fazendo um trabalho intenso com as entidades cooperadas. A mobilização vai deixar de ser uma função e passar a ser apenas mais uma atividade que essa pessoa executa, ampliando suas capacidades e responsabilidades”. Ao fim do treinamento, os mobilizadores passaram por um teste. No caso de aprovação, estarão aptos a assumir a função de agente de desenvolvimento rural, mas, caso não atinjam a pontuação necessária, devem passar por uma outra capacitação de atualização. “Queremos que esse profissional esteja cada vez mais somando com nosso projeto. Esse projeto atende instrutores, supervisores, mobilizadores, presidentes, como também toda equipe interna do Sistema FAEMG. Essa mudança veio e está tocando todo mundo, mas cabe a nós fazer essa mudança ser efetiva”.

Cristiane Trigueiro

Agente de Desenvolvimento Rural

A nova gestão do Sistema FAEMG vem buscando ferramentas que tornem mais efetivas suas ações, com atuação mais próxima do produtor, melhoria na prestação de serviços e com produtos que atendem às diversas necessidades do campo. Alguns produtos e serviços incluem transporte de carga, rastreamento, economia na conta de luz e instalação de usinas solares. Agentes de desenvolvimento rural passarão a ter acesso a essas ferramentas, oferecendo soluções ao produtor rural, além de identificar potencialidades da sua região, podendo formar grupos para participar de ATeG, programas especiais, dentre outros.

Ana Arsênio

Ana Arsênio é mobilizadora em Caxambu e aprovou o treinamento. “Temos a oportunidade de nos reciclar, rever nossa rotina diária e nossas ações. E é também a primeira vez que nós estamos tendo um encontro presencial após o isolamento da pandemia. Isso ajuda muito na troca de informações com os colegas”.

João Carlos, o Kaká

João Carlos Fernandes, o Kaká, é mobilizador em Juiz de Fora e aproveitou a chance para se qualificar ainda mais. “Para mim está sendo uma modernização da forma de pensamento. Como mobilizador, a gente tinha mais responsabilidade de promover cursos. Com essa nova função, vamos além disso, desenvolvendo o sistema como um todo”.

Geovani

Giovani Estacanelli é mobilizador de Oliveira, cidade na área do Escritório Regional de Lavras. Ele diz que é importante que aconteçam encontros presenciais, pois facilitam a troca de experiências e informações. “Tivemos encontros virtuais durante o isolamento, mas essa interação é muito importante, para levar dificuldades e resolver algumas falhas que encontramos no campo. Esta mudança está sendo muito boa, vemos uma melhora gratificante no acesso do mobilizador e do sindicato com a administração do Sistema FAEMG. Está fácil o acesso aos gerentes, superintendentes, ao presidente da federação. Estamos tendo uma ótima interação do interior com a capital”.

Presidentes aprovam postura do Sistema

Marcelo Oliveira

O presidente do SPR de Andrelândia, José Godinho, afirmou que, em décadas de trabalho sindical, é a primeira vez que percebe uma preocupação efetiva da federação em manter os sindicatos atualizados sobre suas ações, com transparência e respeito pelas entidades. “A FAEMG hoje é outra realidade. Está próxima do sindicato, aproximando cada vez mais do produtor rural. Um trabalho de excelência, prestando muito serviço, oferecendo muito produto e é isso o que tem que ser feito. É importante essa atualização, para que os presidentes tenham conhecimento de todas as ações que o sistema vem realizando”.

Marcelo Oliveira é presidente do SPR de São João Del Rei e também aprovou a participação no evento. “Essa ligação nossa com a federação está sendo muito boa. Essa interação com a nova diretoria alavanca a segurança dos sindicatos para realizar um bom trabalho”.