Conheça a FAEMG

A FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) defende os interesses dos produtores rurais do estado.

Crédito Rural

Veja informações sobre os financiamentos destinados aos produtores rurais, cooperativas ou associações para fomentar a produção e comercialização de produtos agropecuários.

Informações Jurídicas

Acesse os documentos disponibilizados pela Assessoria Jurídica para auxiliar os produtores rurais.

Contribuição Sindical
Leiloeiros Rurais

Veja todas as informações sobre os leiloeiros rurais do estado de Minas Gerais.

Compartilhe


Com ATeG, fazenda dobra produção leiteira

ATEG LEITE
ESCRITO POR IZABELLA MACHADO, DE ARAÇUAÍ
05/04/2023 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR, FAEMG

Conhecimento técnico permitiu que propriedade produtor de Itinga, adotasse melhoramento genético e já aumento da pastagem

 

Conhecido em Itinga, no Vale do Jequitinhonha, pelo zelo na produção leiteira, o produtor José Soares, apelidado de “Zé Banha”, é protagonista de mais um caso de sucesso do Sistema Faemg Senar, em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Itinga. 

Em meados de 2020, quando iniciou o atendimento pelo Programa de Assistência Técnica e Gerencial, a Fazenda Palmito ainda apresentava um sistema simples e pouco especializado para o rebanho. Além disso, a base de alimentação do gado se resumia à pastagem, o produtor não fazia nenhuma suplementação (seja na forma de silagem ou concentrados) na seca e toda a atividade leiteira da propriedade era convertida em queijos de produção própria.

Entretanto, mesmo com todo o foco destinado à atividade, o leite produzido por lá não era suficiente para suprir a necessidade da fazenda. “Com isso, o produtor infelizmente tinha que comprar de outros pequenos produtores da região”, relembrou o técnico de campo Iury Marques.

Com a meta de adquirir sustentabilidade leiteira, o atendimento foi conduzido para melhorar o manejo sanitário, nutricional, reprodutivo e gestor da propriedade. Além disso, técnico e produtor atendido realizaram planejamentos de forragens e o manejo de pastagem foram aplicados. “Com essas alterações, José passou a trabalhar com a palma forrageira e o capiaçu em regime sequeiro, que foram essenciais para a sua produtividade dentro de uma região semiárida”, completou.

“Hoje estou surpreso com a qualidade e quantidade de produção. Sou muito grato. Eu achava impossível, pois não tinha conhecimento técnico e, por isso, achava que não tinha capacidade de fazer a estrutura. No final das contas, descobri que tinha sim, mas faltava aprender a administrar a minha ferramenta de trabalho”, disse o produtor.

De acordo com ele, agora a propriedade “faz melhoramento genético, seleciona o gado e já aumentou a pastagem. “A prova está na produção. Foi um salto de 12 vacas em lactação produzindo 38 litros de leite por dia para 8 vacas em lactação produzindo 80 litros de leite por dia”.

 

Sucessão familiar

O produtor conta com a colaboração de sua mãe, esposa e quatro filhos. O técnico de campo conta que é comum chegar na propriedade e encontrá-los desenvolvendo atividades produtivas. “Principalmente a ordenha. É comum chegar lá e ver os mais jovens colaborando. É ótimo ver empenho dos filhos e entendemos que é um sinal de continuação da propriedade pela família”, observou Iury.

 

}