Conheça a FAEMG

A FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) defende os interesses dos produtores rurais do estado.

Crédito Rural

Veja informações sobre os financiamentos destinados aos produtores rurais, cooperativas ou associações para fomentar a produção e comercialização de produtos agropecuários.

Informações Jurídicas

Acesse os documentos disponibilizados pela Assessoria Jurídica para auxiliar os produtores rurais.

Contribuição Sindical
Leiloeiros Rurais

Veja todas as informações sobre os leiloeiros rurais do estado de Minas Gerais.

Compartilhe


CT de cana debate sistema de pagamento e precificação

COMISSÃO TÉCNICA DE CANA-DE-AÇÚCAR
ESCRITO POR JULIANA FIDELIS, DE UBERABA
05/12/2023 . SISTEMA FAEMG, FAEMG

O sistema de pagamento e a precificação esteve entre os temas abordados na oitava reunião da Comissão Técnica de Cana-de-açúcar do Sistema Faemg Senar. O encontro reuniu membros da comissão e de entidades representativas do setor, como a Organização de Associações de Produtores de Cana do Brasil (Orplana) e a Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), na segunda-feira (4/12), em Uberaba, na região do Triângulo Mineiro.

Presidente da Comissão Técnica do Sistema Faemg Senar, Márcio Guapo, esteve à frente da reunião

Na oportunidade, eles receberam informações de como está o processo de revisão do Consecana-SP (Conselho de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Etanol do Estado de São Paulo), que define uma adequada precificação da matéria-prima com base nos custos de produção e nos preços dos produtos finais praticados no mercado. O manual do Consecana-SP é referência para todo o Brasil e muito utilizado na região do Triângulo Mineiro, onde está concentrada a maior área produtiva de cana-de-açúcar de Minas Gerais. No último mês de outubro, a Orplana e a União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (Unica) anunciaram um acordo para a revisão dos parâmetros técnicos e econômicos do Consecana, com previsão de término em junho de 2024.

“A revisão já iniciou, temos várias pautas dos produtores para serem incluídas, como o bagaço e a melhoria de indicadores técnicos. Tem muito trabalho para ser feito dentro desse modelo de revisão e entendemos que será bem justo ao produtor”, afirmou o CEO da Orplana, José Guilherme Nogueira. A revisão será feita por meio de uma empresa, instituto, faculdade ou universidade que será contratada para a realização do trabalho técnico. “Inclusive, temos uma reunião agendada na semana que vem para definir o escopo desse trabalho e qual será a empresa”, completou Nogueira. 

CEO da Orplana, José Guilherme Nogueira, falou sobre o processo de revisão do Consecana

Outro ponto abordado pelo CEO da Orplana é o repasse dos créditos outorgados de ICMS, recebido pelas usinas no ano passado, e que também precisa ser feito ao produtor. “O modelo do Consecana não captura estes benefícios e estamos pleiteando. Nada mais justo que este ponto seja inserido”, finalizou.

Também presente na reunião, o presidente da Feplana, Paulo Sérgio Leal, destacou o importante trabalho de representação política desenvolvido pela federação, na defesa dos interesses dos produtores. Inclusive, a Feplana tem atuado pela aprovação do Projeto de Lei 3.149 de 2020, que trata sobre a inserção do produtor no modelo de remuneração dos CBIOs (créditos de descarbonização). O projeto dispõe sobre a participação dos produtores de biomassa que são destinadas à produção de biocombustíveis nos benefícios financeiros do programa do RenovaBio.

Iniciativa aprovada

O presidente da Comissão Nacional da Cana-de-Açúcar da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Nelson Perez Júnior, avaliou como fantástica a iniciativa da reunião. “Apoiamos e avaliamos que isso precisa ocorrer em todos os estados produtores de cana. O produtor rural está procurando uma forma de ser remunerado pelo custo de produção da matéria-prima. Precisamos abrir esta discussão para que a gente consiga chegar em um consenso”, pontuou. Ele colocou que a CNA também tem trabalhado em um índice que possa ser referência no mercado da cana-de-açúcar para nortear o produtor. “Não temos a intenção, jamais, de competir ou substituir o Consecana. Podemos pegar todo o trabalho que já foi feito, somar com a metodologia do Consecana e tentar aprimorar, para que a gente tenha um índice mais transparente, correto e justo para todos os lados”, afirmou. 

Consultor técnico da Orplana, Roberto de Campos Sacks, detalhou sobre o sistema de pagamento de cana

O presidente da Comissão Técnica do Sistema Faemg Senar, Márcio Guapo, avaliou que a reunião foi importante por trazer discussões técnicas e políticas. “Temos discutido muito a técnica e debatemos pouco a política. Os produtores realmente entenderam que só vamos conseguir resultados positivos com a união de todos. E a comissão tem esta missão de unir estes produtores e fomentar esta parte política do setor”, destacou Guapo. Essa foi a última reunião da Comissão Técnica em 2023.

O encontro também contou com as palestras do consultor técnico da Orplana, Roberto de Campos Sacks, falando sobre o histórico do sistema de pagamento de cana, estrutura e manual do Consecana; e do gestor de projetos do Pecege, Haroldo José Torres da Silva, com o tema “Precificação da Cana”. A reunião contou ainda com as presenças de representantes de associações de fornecedores de cana, entre elas a Canacampo, de Campo Florido.

}