Compartilhe


Capacitação focada para mulheres abre novas oportunidades no meio rural

MULHERES DO AGRO
ESCRITO POR RICARDO GUIMARÃES, DE MONTES CLAROS
13/11/2023 . SISTEMA FAEMG, SENAR, FAEMG

Curso envolveu outras funcionárias da empresa Rima Industrial 

Capacitação teve como foco as colaboradoras da empresa florestal

Há três anos, Camila Batista Braga tem na rotina o trabalho em uma grande empresa ligada ao ramo agropecuário em Buritizeiro, no Norte do estado. Atualmente no cargo de ajudante de produção florestal na Rima Industrial, entre uma demanda e outra, ela sonha em seguir crescendo e ampliando sua atuação profissional. O primeiro passo para essa conquista foi dado. Ela foi uma das alunas do curso de operação de máquinas agrícolas, ofertada pelo Sistema Faemg Senar, por meio do Sindicato dos Produtores Rurais de Pirapora, exclusivamente para o público feminino.

“Foi o primeiro curso do Sistema Faemg que fiz, e foi uma das melhores experiências que tive. Sempre foi minha vontade fazer curso voltado para operação de máquinas agrícolas, ainda mais trabalhando nos últimos anos aqui na Rima. Mas ainda é um campo onde os homens dominam. Quando a empresa deu a oportunidade e vi a equipe do Senar, foi gratificante”, comenta Camila Batista.

Além de Camila, o curso envolveu outras funcionárias da empresa, que foram capacitadas para operar e realizar pequenas manutenções em máquinas leves, trabalho extremamente importante no dia a dia da Rima Industrial, que atua com produção e suprimento de carvão vegetal para fábricas em todo o país. 

“Essa é uma abertura de leque de oportunidades, especialmente para que as nossas colaboradoras possam atuar nas diversas áreas que a empresa necessita. Foi um primeiro curso voltado para capacitar as mulheres. Ano que vem vamos trazer novas capacitações nessa parceria com o Sistema Faemg Senar, que tem sido essencial para a qualificação profissional constante da nossa equipe”, define o gestor administrativo da empresa, Rodrigo Santa Câmara.

Alunas aprenderam a operar e fazer pequenos reparos em máquinas agrícolas

“No próximo curso eu vou me inscrever, para seguir capacitando. Minha vontade é de ser a primeira mulher operadora de máquinas na Rima de Buritizeiro. Essa é uma profissão que eu já queria exercer e, com o curso, despertou ainda mais essa paixão”, completa Camila Batista Braga.

Crescimento profissional 

O treinamento, que foi realizado no último mês na sede da empresa, é uma demanda comum levantada pelas empresas ligadas ao trabalho rural no Norte de Minas. Segundo o presidente do Sindicato Rural de Pirapora, Helder Braga, ao longo de 2023 foram vários pedidos de capacitações para maior inserção das mulheres no mercado de trabalho rural.

“A gente entende que essas capacitações nas grandes empresas que atuam na área rural abrem portas para que as mulheres das comunidades locais se interessem pela profissão e se fixem no meio rural. O aumento da mão de obra tem crescido consideravelmente e as empresas ganham colaboradoras mais capacitadas para atuar com qualidade. As mulheres, que ainda não tinham se despertado para algumas áreas rurais, hoje podem competir com mais igualdade de direitos”, opina Helder Braga.

Locada no setor fiscal da empresa florestal, Ana Paula Pereira de Menezes já visualiza novas oportunidades após o curso e acredita, ainda, que mais mulheres vão despertar para outros segmentos de atuação a partir de agora. “Este acesso para capacitação em áreas que antes só os homens atuavam significa mais oportunidades, colocando essa igualdade profissional. Minha intenção é de trabalhar nessa área de máquinas, evoluir ainda mais”, finaliza. 

O gerente regional do Sistema Faemg, Dirceu Martins, espera que iniciativas de valorização do trabalho feminino, como a realizada em Buritizeiro, irradiem para outras empresas da região. “As mulheres estão assumindo protagonismo muito grande também como força de trabalho no meio rural, o que eu vejo com muito otimismo. A dedicação e zelo que as mulheres desempenham no ambiente de trabalho são cada vez mais valorizadas nas empresas. Quando falamos em máquinas agrícolas é um ponto diferencial, já que o fator manutenção faz toda a diferença no planejamento da empresa rural”, explica Dirceu Martins.
 

}