Compartilhe

Curso aprofunda na ‘Lei das Águas” para fortalecer representação do agro

COMITÊS DE BACIAS EM MG
ESCRITO POR JANAINA ROCHIDO, DE BELO HORIZONTE
07/02/2024 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, FAEMG

Uma capacitação realizada essa semana em Belo Horizonte, na sede do Sistema Faemg Senar, trouxe conhecimento para representantes do agro atuarem junto aos comitês de bacias hidrográficas, reforçando o papel do produtor rural como guardião do meio ambiente e fortalecendo a participação política nas instâncias que determinam as regras e normas do setor.

Participantes foram eleitos para os comitês de bacias

O curso “Fortalecendo a representatividade do agro em CBHs” foi organizado pela Gerência de Sustentabilidade, com apoio da Gerência Pedagógica, e ministrado pela assessora técnica da Comissão Nacional de Irrigação da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Jordana Girardello.

“Esse foi o começo de um alinhamento setorial para obter espaço nesse parlamento das águas, um lugar importante e que tem vários instrumentos da Política Nacional de Recursos Hídricos que são trabalhados nos comitês, ajudando a aproximar nossos representantes do conteúdo que oferecemos na capacitação”, explicou a gerente de Sustentabilidade do Sistema Faemg Senar, Mariana Ramos.

Mariana Ramos, gerente de Sustentabilidade do Sistema Faemg Senar

“Minas sempre foi referência para todo o país sobre como lidar com desafios na legislação ambiental, e um exemplo disso é que esse é o estado com mais comitês de bacias. Esse é um momento muito enriquecedor por estarmos juntando atores de diversas áreas para troca de experiencias. Isso encurta o caminho para diretrizes únicas e mais estruturadas”, comentou a instrutora Jordana Girardello.

Na programação, explicações sobre a Política Nacional de Recursos Hídricos (a “Lei das Águas”), conceito de comitê de bacia hidrográfica e a importância e posicionamento do setor rural nos comitês, câmaras técnicas e projetos da área, especialmente no que tange à irrigação. Participaram técnicos, gestores da sede e do interior, representantes de Sindicatos e associações eleitos para os comitês.

Jordana Girardello, da CNA

Representatividade

“Nosso primeiro desafio foi participar dos comitês, que são muitos no estado de Minas, para termos voz e vez, e conseguimos uma representatividade muito grande no último processo eleitoral”, comentou Mariana Ramos. Para o analista de Sustentabilidade da gerência, Guilherme Oliveira, é hora de fortalecer o compromisso com essa atuação. “Quem está na ponta precisa ter o compromisso de participar e representar o Sistema Faemg Senar. Essa representação política é muito importante”, destacou.

O vice-presidente secretário do Sistema Faemg Senar, Ebinho Bernardes, sabe bem da importância dessa representação, posto que já foi presidente e vice-presidente de comitês de bacia. “O produtor rural tem feito seu dever de casa, mas, para isso, precisamos estar bem-posicionados e agindo de forma estratégica para dialogar com esse setor e colocar as nossas posições de forma clara”, opinou.

A partir da Esquerda: o analista Guilherme Oliveira, Jordana Girardello, e o vice-presidente secretário Ebinho Bernardes

“Sempre trabalhamos muito nos comitês de bacias e sabemos a luta que é defender o setor produtivo lá na ponta. Desde que essa diretoria assumiu, trouxemos a demanda de aprimorar nossa atuação, dar subsídios aos nossos sindicatos e equipes para fazer uma atuação firme em defesa do setor produtivo. É importante colocar nossos sindicatos para entenderem esse assunto, que e de suma relevância”, finalizou Ebinho.