Dias
0 0 0
Horas
0 0
Minutos
0 0
Segundos
0 0
Compartilhe


Divulgados os resultados da etapa Minas Gerais da Expedição Bééé Brasil

RAIO X DA OVINO E CAPRINOCULTURA
ESCRITO POR IZAMARA ARCANJO, DE BELO HORIZONTE
27/03/2024 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR, FAEMG

Foram apresentados nesta quarta-feira (27/3), os resultados da Expedição Bééé Brasil – Etapa Minas Gerais. Produtores rurais, autoridades estaduais e diretores do Sistema Faemg Senar estiveram presentes no evento de divulgação, na sede do Sistema Faemg Senar, em Belo Horizonte. O projeto visa revelar os desafios, potencialidades e particularidades das cadeias de ovinos e caprinos, proporcionando visibilidade e oportunidades aos criadores.

A expedição Bééé Brasil é idealizada e liderada por Luciano Piovesan Leme, zootecnista ex-secretário da prefeitura de Viçosa e vice-presidente da Comissão Técnica de Ovino e Caprinocultura do Sistema Faemg Senar. A iniciativa consiste em uma série de visitas, entrevistas e documentações em diferentes regiões do país, com o objetivo de destacar os sistemas de produção, a cadeia de comercialização, a cultura gastronômica e os incentivos governamentais relacionados à ovinocultura e à caprinocultura.

 

Luciano Piovezan, vice-presidente da Comissão Técnica de Ovino e Caprinocultura do Sistema Faemg Senar, apresentou os resultados da etapa Minas Gerais da Expedição Bééé Brasil 

“Nós mostramos a diversidade e as características da caprino e ovinoculturas em 12 regiões do Estado de Minas Gerais, bem como as demandas, as dores, aspirações e as muitas possibilidades que as duas cadeias têm para avançar.  A comissão Técnica de Ovino e Caprinocultura do Sistema Faemg tem agora uma missão muito importante com base nessas informações apresentadas. Precisamos atuar de maneira que possamos propor ações assertivas e cirúrgicas, além de políticas públicas duradouras para aumentar e ampliar o trabalho da ovino e da caprinocultura no Estado de Minas Gerais”, ressaltou Luciano Piovezan.

O vice-presidente de Finanças do Sistema Faemg Senar, Renato Laguardia, é um grande incentivador e apoiador de primeira hora do projeto. Segundo Renato, ele nunca teve dúvidas de que a expedição seria bem-sucedida e se configuraria em um importante diagnóstico das cadeias de ovinos e caprinos no estado. “Conheço o Luciano há muitos anos e estreitamos relações quando eu era presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Barbacena. Sempre acreditei que, com ele à frente deste projeto, as cadeias teriam muito a ganhar. Ele merece o reconhecimento pela capacidade técnica e pelo tempo dedicado a este trabalho. Nós estamos aqui para prestigiar e valorizar este levantamento que será muito importante para os nossos produtores rurais”, avaliou.

“O nosso trabalho, por meio da nossa comissão técnica e dos nossos técnicos de campo, é apoiar cada vez mais estas duas cadeias que são tão importantes para o estado de Minas Gerais e para os produtores rurais que vivem dessas atividades. Queremos desenvolver uma relação cada vez mais próxima com eles e ajudá-los para que eles possam melhor sua renda e agregar valor ao seu negócio e ao seu produto”, afirmou o vice-presidente Secretário do Sistema Faemg Senar, Ebinho Bernardes.

Luciano Piovezan, Renato Laguardia e Ebinho Bernardes 

O superintendente do Senar Minas, Celso Furtado Jr., também esteve presente no evento e destacou que no diagnóstico realizado ao longo da expedição em Minas Gerais foram identificados vários aspectos apontados pelos produtores rurais, que serão considerados pelo Sistema Faemg Senar na elaboração de conteúdos técnicos e capacitações visando ajudá-los a superar as carências e dificuldades que eles enfrentam no dia a dia em suas atividades.

“O relatório vai subsidiar o Senar na elaboração de novos conteúdos que possam atender às necessidades desses produtores.  Nós já solicitamos ao Luciano, o responsável pela Expedição Béééé e que fez todo esse levantamento, que seja realizada uma reunião com a nossa gerência Formação Profissional Rural (FPR) para que possamos examinar todas essas observações que foram feitas durante as visitas e, a partir daí, possamos adequar e aperfeiçoar nossos conteúdos educacionais a partir da necessidade dos produtores rurais que foram alvo desse diagnóstico", afirmou o superintendente.

Rodrigo Carvalho, chefe de gabinete da Seapa, ao lado do superintendente do Senar Minas, Celso Furtado Jr.

 

Expedição Béééé continua

Iniciada em 5 de outubro de 2023, a Expedição terá duração de três anos, percorrendo todas as mesorregiões do Brasil até junho de 2025.

Em Minas Gerais, foram visitadas as mesorregiões da Zona da Mata, Campo das Vertentes, Sul de Minas, Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri, Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha, Região Metropolitana de Belo Horizonte, Central, Noroeste e Centro-oeste. Ao todo a Expedição percorreu 16.632 quilômetros em 82 municípios e já visitou mais de 108 propriedades de criadores, além de sindicatos, prefeituras e instituições de ensino.

A Expedição está sendo documentada e compartilhada através das redes sociais, com a previsão de produção de um livro e um documentário ao final do projeto.

Para o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Rodrigo Carvalho, a expedição é um marco importante para subsidiar o poder público na adoção de políticas que sejam efetivamente relevantes para o setor. “Nós da Seapa, incluindo as nossas instituições vinculadas: IMA, Emater e Epamig, acreditamos que essa expedição será muito bem-vinda para nos ajudar na adoção de medidas que possam a viabilizar a atividade e criar condições para a manutenção e renovação destas cadeias tão importantes para nosso Estado”, afirmou.