Conheça o SENAR

O SENAR MINAS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional de Minas Gerais) é responsável pela capacitação profissional e promoção social do produtor, do trabalhador rural e seus familiares.

Cursos

O SENAR MINAS oferece mais de 300 cursos nas áreas de Formação Profissional Rural e Promoção Social, gratuitos e voltados para capacitação e qualidade de vida do produtor e trabalhador rural e suas famílias.

Instrutor Mobilizador Licitações Transparência e Prestação de Contas Centro Exc. Cafeicultura
Compartilhe


Parceria com IMA capacita novos vacinadores

COMBATE À BRUCELOSE
ESCRITO POR RICARDO GUIMARÃES, DE MONTES CLAROS
18/04/2024 . SISTEMA FAEMG, SENAR

O Sistema Faemg Senar e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) retomaram a parceria para a realização do curso “Tratador de Animais / Defesa sanitária e vacinação”, que capacitou e certificou novos vacinadores do Norte de Minas, mas que estarão autorizados a atuar em todo o estado. O foco maior foi a vacinação contra brucelose, e o principal objetivo é que os alunos capacitados possam atuar junto aos pequenos e médios produtores rurais.

“Agora, com o fim da aftosa, a brucelose e a tuberculose são as próximas doenças a serem batalhadas para a erradicação e, com isso, gerar maior valorização da carne, dos produtos lácteos e de toda a cadeia bovina. Até então, grandes propriedades conseguem manter seu veterinário regular. Já os menores mantêm o vaqueiro, a própria mão de obra que ele aprendeu com o pai. Por isso é importante ele ser capacitado”, explica o chefe de fiscalização agropecuária do escritório seccional do IMA em Montes Claros, Marco Túlio Pelaquim.

Produtor de corte e leite em Francisco Sá, Welington Pereira de Freitas já passou pela dificuldade de chegar no fim do mês e não conseguir arcar com os custos de um profissional para a vacinação do rebanho na fazenda. Postergar a vacinação trouxe prejuízos, que agora, capacitado, ele espera sanar e ainda poder ajudar os vizinhos. “A região está muito carente de vacinadores. Com essa capacitação teremos mais pessoas prontas para ajudar os produtores, e com segurança. O produtor vai saber que ali está um profissional treinado, capacitado para aquele serviço”, afirma.

Capacitação

Por se tratar de uma vacina “viva”, a manipulação incorreta do produto pode gerar riscos de contaminação na hora da aplicação. A imunização contra brucelose requer também cuidados especiais na refrigeração do material. A proposta é que a capacitação, que ocorreu com duas turmas fechadas e contou com apoio do Sindicato dos Produtores Rurais e Conselho Regional de Medicina Veterinária, possa ser levada para outras cidades.

A última vez que esse curso havia sido realizado em parceria foi entre 2015 e 2017. “A retomada do treinamento foi um esforço conjunto das entidades parceiras, principalmente por meio das gerências de Assistência Técnica e Gerencial, e de Relações Institucionais e Governamentais do Sistema Faemg Senar. Esse treinamento vai aumentar a oferta de vacinadores e, dessa forma, melhorar os índices vacinais”, pontua o gerente regional do Sistema Faemg em Montes Claros, Dirceu Martins.

Ao longo da capacitação, foram apresentadas informações técnicas e científicas sobre todo o sistema de defesa animal, processos de fiscalização, doenças que podem acometer o rebanho, entre outras abordagens. Além da parte teórica, o curso teve dois momentos práticos para a vacinação de animais e uma avaliação escrita para certificar os conhecimentos obtidos.

“Esses novos agentes vão sair daqui levando conhecimento técnico para o campo, para o dia a dia de trabalho. A brucelose é uma zoonose que passa para o homem e também tem um peso econômico nas pequenas e grandes propriedades rurais, já que é causa de aborto nas fêmeas do rebanho”, pontua o instrutor do curso, Carlos Victor Gomes Rennó. A capacitação foi acompanhada pela analista de Formação Profissional Rural do Sistema Faemg Senar, a zootecnista Tatiana Ude.

Trabalhador rural na região de Nova Esperança, distrito de Montes Claros, José Amarildo do Lopes da Silva viu na capacitação uma oportunidade para ter maior fonte de renda. Segundo ele, a região rural onde mora tem alta demanda e poucos profissionais. “Eu já fiz vários cursos do Senar, e acho muito importante mesmo essa capacitação. Esse da vacinação ainda mais, porque também atinge a saúde humana. Tem muito criador que ainda não registra o gado e não vacina, pela dificuldade em ter profissional capacitado aplicando o medicamento. Agora poderemos trabalhar para evitar que isso ocorra”, comenta José Amarildo.

Brucelose

A brucelose é uma zoonose que pode ser transmitida ao ser humano. A prevenção é a vacinação das fêmeas de três a oito meses, de forma obrigatória. As medidas de controle e adoção de estratégias podem controlar a doença e melhorar a produtividade do rebanho.

O contato direto com os resíduos do pós-parto de um animal doente (placenta, restos placentários e feto), durante o parto ou ao limpar o local onde houve o parto ou aborto, também é uma das formas de transmissão, assim como a ingestão de leite cru, ou seja, não pasteurizado ou fervido, vindo de um animal infectado (o que pode atingir diretamente a população). Outros produtos manufaturados, como queijo e carne, também podem receber a contaminação, atingindo a saúde humana.

A brucelose em bovídeos não tem cura, por isso a aplicação das medidas de controle da doença é tão importante. Por meio de medidas preventivas e de controle (diagnóstico de animais positivos) é possível conter sua proliferação nos rebanhos.

Em 2023, o estado de Minas Gerais alcançou o índice de 77,5% de fêmeas vacinadas, segundo as declarações obrigatórias feitas pelos produtores ao IMA.