Compartilhe

Com ATeG Café+Forte, lucro aumenta em mais de 500% em fazenda

CASO DE SUCESSO
ESCRITO POR DIEGO SOUZA, DE GOVERNADOR VALADARES
15/09/2021 . SENAR

Satisfação. Essa é a palavra com a qual o produtor rural Odirley Lopes de Meira definiu o momento que vive em sua propriedade, a fazenda Surubi, em Cachoeira da Luz, distrito do município de Água Boa, no Vale do Rio Doce. E não é para menos. Desde que iniciou o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, ele viu sua renda bruta aumentar e seu lucro superar os 500% em apenas 12 meses.

Odirley, Ivanete e as filhas Larissa e Ana Júlia

Há um ano, Odirley Lopes, que produz café conilon em uma área de 3,87 hectares, resolveu participar do ATeG Café+Forte. Paralelamente, participou de outros cursos do Sistema FAEMG, como Poda, Adubação e Produção de Mudas. A partir de então, Odirley e a sua mulher, Ivanete Aparecida Alves Ferreira, juntamente com as filhas Larissa Evelly de Meira e Ana Júlia Alves de Meira, viu suas vidas mudarem.

“Foi uma coisa de Deus nas nossas vidas. Tudo que aprendemos com os cursos do Sistema FAEMG foi de suma importância para que pudéssemos melhorar consideravelmente a nossa produtividade e a nossa lucratividade. Depois de tudo que aprendemos e da assistência técnica que recebemos do Francy, nossa propriedade se transformou em uma pequena empresa rural”, afirma.

Essa foi a primeira safra depois dos atendimentos por meio do ATeG Café + Forte. O técnico de campo Francy Alves Santos explicou em números o sucesso na propriedade de Odirley Lopes. Segundo o técnico, ele dobrou a produção de 90 para mais de 180 sacas de café.

“Consequentemente, a renda bruta aumentou e o lucro, também. A produção saiu de 25,32 sacas por hectare para 48,84 sacas por hectare. A valorização do preço do café ajudou, já que no ano passado ele vendeu a R$ 400 a saca, e esse ano ele já vende a R$ 610,00. Em relação à safra anterior, ele viu a sua lucratividade chegar a exatos 516,46%”, explicou Francy Santos.

Odirley Lopes garante que são detalhes que fazem o ATeG ser um programa que ele chamou de “sensacional”. “Você começa a perceber pequenos gastos que ao longo de um ano se tornam grandes. Você começa a fazer economia, investir corretamente, fazer uma pulverização e uma adubação com base em uma análise balanceada. Essa é a importância do ATeG. E dou uma dica a vocês que estão fazendo ATeG, seja de qual cadeia for: explorem os técnicos de campo e suguem o máximo de conhecimento deles, para que vocês possam trabalhar com mais tranquilidade na propriedade de vocês e conquistarem o mesmo nível de satisfação que eu conquistei”.