Conheça o SENAR

O SENAR MINAS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional de Minas Gerais) é responsável pela capacitação profissional e promoção social do produtor, do trabalhador rural e seus familiares.

Cursos

O SENAR MINAS oferece mais de 300 cursos nas áreas de Formação Profissional Rural e Promoção Social, gratuitos e voltados para capacitação e qualidade de vida do produtor e trabalhador rural e suas famílias.

Instrutor Mobilizador Licitações
Compartilhe

Feirantes de Carandaí aprovam evento

FEIRA SEGURA
ESCRITO POR SEDE, EM BELO HORIZONTE
01/03/2021 . SISTEMA FAEMG, SENAR

Às 6h de sábado já estava tudo pronto no Parque Vô Costa, em Carandaí, para a primeira Feira Segura do ano em Minas Gerais. Vinte e duas barracas receberam os cerca de 200 clientes que passaram pelo local com toda a segurança, dentro das premissas do projeto do Sistema CNA que preconiza a volta das feiras de rua com medidas para evitar o coronavírus.

A gerente de Formação Profissional e Promoção Social do SENAR MINAS, Liziana Rodrigues, e a analista Michelle Camila de Paula acompanharam o evento. A Feira Segura em Carandaí contou com a parceria da Prefeitura Municipal de Carandaí, do Sindicato dos Produtores Rurais de Carandaí, do Sindicato dos Produtores Rurais de Barbacena, e da Associação dos Feirantes de Carandaí (ASFEC). No total, nove feiras já foram realizadas no estado.

O superintendente do SENAR, Christiano Nascif, destacou a importância da Feira Segura para possibilitar ao pequeno produtor a retomada de sua fonte de renda semanal, já que a pandemia não cedeu esse ano. “Apostamos na Feira Segura como uma forma de trazer alimentos seguros para a população, resgatar a convivência nas feiras e, principalmente, proporcionar geração de renda e emprego no meio rural, o grande objetivo do Sistema FAEMG/SENAR/INAES”.

Adaptação

Os feirantes de Carandaí passaram por dois treinamentos do Sistema FAEMG/SENAR/INAES sobre higienização e manipulação de alimentos para expor. Eles foram orientados a utilizar máscaras o tempo todo, manter álcool em gel à disposição dos clientes e embalar os produtos já limpos e pesados.

A instrutora Maria Alice Assunção conta que as informações foram novidade para alguns feirantes. “Eles gostaram e na feira vimos eles colocarem as ações em prática conforme ensinamos”, disse. A enfermeira Juliana Pereira Mariano, também instrutora, reforça que as orientações foram muito bem recebidas. “Abordamos o tema de uma forma mais leve, porque já estão todos muito saturados de informações sobre covid. Isso aumentou a adesão”, explicou.

As mobilizadoras Stephania Helena Rossetti da Trindade, do Sindicato de Carandaí, e Iracema Costa Flisch, do Sindicato de Barbacena, contaram que a aceitação dos produtores aos protocolos da Feira Segura foi muito boa. “Eles chegaram muito empolgados”, comentou Iracema.

A partir da esquerda: Breno Figueiredo, presidente do Sindicato de Carandaí; Iracema Flisch, mobilizadora do Sindicato de Barbacena; Maria Alice, instrutora; Liziana Rodrigues, gerente de FPR/PS do SENAR; Juliana Mariano, instrutora; e Michelle Camila, analista do SENAR

Aprovação

“O fechamento da feira foi bem complicado. Agora temos mais segurança para as pessoas virem aqui e para nós vendermos. Aprendi muito e melhorou muito minha qualidade” - Alecsandra de Cássia Neves Alves, feirante e presidente da Associação de Feirantes de Carandaí

“A Feira Segura foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. Se a cidade fechar de novo, os produtores já estarão preparados para manter sua fonte de renda” – Breno Figueiredo, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Carandaí

“A feira é um momento de encontro entre as pessoas. Essa foi uma ótima iniciativa. Precisávamos desse incentivo do SENAR” – Célio Manuelli, secretário de agricultura de Carandaí

“Foi uma ideia excelente. Estando dentro dos critérios, nossos feirantes conseguem vender melhor” – Virgínia Queiroz, vereadora em Carandaí

A partir da esquerda: Breno Figueiredo, Virgínia Queiroz, o superintendente Christiano Nascif e Célio Manuelli

“Aprendemos muito nos cursos e está sendo muito bem aproveitado. Os clientes comentaram que gostaram. A gente vai continuar com essa segurança toda, porque é bom para nós e para nossos clientes” - Gabriela Sales, Fabiana Sales e Anderson Sales, filha, mãe e pai. Vendem legumes e verduras na feira há mais de 10 anos

“Realmente está bem seguro. Estamos oferecendo álcool em gel e quem manuseia o dinheiro não toca nos produtos. Gostei muito dos treinamentos, tinha muita informação que eu não sabia e vou colocar em prática” - Nerci Tavares e Milton do Nascimento, marido e mulher, feirantes há oito anos. Vendem quitandas e manteiga que eles mesmo produzem

Os feirantes Milton e Nerci e a cliente Maria das Graças

“Gostei bastante. Eu só saio quando eu preciso mesmo e, com mais segurança, todos se protegem mais” – Maria das Graças Vicentino Costa, aposentada, frequenta a feira toda semana em busca de hortaliças, biscoitos e novidades

“Os feirantes já tomavam cuidados, mas com certeza isso dá mais segurança. Acho que os mercados também deveriam adotar essas medidas” - Gabriela Pereira, vai à feira com o filho Pedro toda semana e gostou dos produtos estarem todos embalados

Gabriela, Isabella e o pequeno Pedro

Evento tradicional

A tradição de 37 anos não impediu que a feira ficasse suspensa por seis meses por causa da pandemia, o que impactou muito na renda dos produtores rurais. O forte do município de Carandaí é o agronegócio, principalmente a agricultura familiar. Os principais produtos são as verduras e legumes.