Compartilhe

A força e os caminhos do agro em Minas

EVENTO
ESCRITO POR FERNANDA TEIXEIRA E NATHALIE GUIMARÃES, DE BELO HORIZONTE
19/09/2022 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR, INAES, FAEMG

Pela primeira vez em Belo Horizonte, cerca de 2 mil pessoas ligadas ao agronegócio mineiro se reuniram para discutir os rumos do setor, ampliar a integração e fortalecer a cadeia produtiva. O evento, promovido pelo Sistema Faemg nos dias 16 e 17 de setembro, no Expominas, contou com a participação de integrantes de 387 Sindicatos Rurais, lideranças e autoridades e uma agenda de palestras técnicas, motivacionais, institucionais e mesas de debates. 

“Foi a primeira vez, em 71 anos, que o Sistema Faemg promoveu um evento com essa magnitude. Não nos reunimos apenas como colaboradores, diretos ou indiretos, e parceiros, mas como uma classe que promove o desenvolvimento do país e coloca alimento na mesa de milhões de brasileiros e de pessoas de diferentes partes do mundo”, ressaltou o presidente do Sistema Faemg, Antônio de Salvo. 


Para ele, os milhares de participantes representam a força do agro e do produtor rural em todo o estado. “Nos últimos anos, o agro mineiro passou por adversidades, não só causadas pela pandemia, mas por questões climáticas e internacionais. E com a competência e a diversidade do setor, segurou a economia. Você, produtor, é o responsável pela riqueza que é o agronegócio do nosso país”, reforçou o presidente. 

Para exemplificar o impacto do trabalho do homem do campo, o vice-presidente de Finanças do Sistema Faemg, Renato Laguardia, destacou que, para cada litro de leite produzido nas fazendas, são gerados em média R$ 5,43 para a atividade econômica, o que, em um ano, representa cerca de R$ 1,2 bilhão para a economia do estado. 

“Minas Gerais tem mais de 600 mil propriedades rurais. O agro emprega cerca de 1,8 milhão de pessoas direta e indiretamente. Em 2021, o setor movimentou R$ 177 bilhões, o equivalente a 22% do PIB mineiro, com uma taxa de crescimento de 9,5% ao ano. A nossa exportação também é destaque. De janeiro a dezembro de 2021 foram exportados R$ 54,6 bilhões para 176 países, sendo a China o principal comprador. E somente no primeiro semestre deste ano já atingimos R$ 46,5 bi”, disse. Para ele, o agro garante segurança alimentar e energética, fornece matérias-primas para a indústria, é um importante gerador de empregos e provedor para o mundo. 

O vice-presidente de Secretaria, Ebinho Bernardes, falou sobre como os Sindicatos podem fortalecer a grandeza da Federação. “A Faemg tem o maior número de Sindicatos associados do país: 387. Podemos ser maiores, se cada um, em seu município, souber do impacto da sua atuação”, destacou Ebinho. Ele completou, ainda, que o Sistema Faemg está atento à necessidade de constante melhoria dos serviços prestados aos produtores rurais e se compromete a ajudar os sindicatos para que eles tenham sustentabilidade técnica e econômica.  

O Agro passa por aqui

O ex-ministro de Agricultura, Alysson Paolinelli, e o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Roberto Simões, envolveram o público em uma mesa redonda sobre a evolução da agropecuária brasileira e toda a representatividade do setor. 

Paolinelli destacou a capacidade brasileira na produção de alimentos. “Hoje, o mundo tem 7,5 bilhões de pessoas e, em 2050, esse número chegará a 10 bilhões. Para atender o aumento da demanda por alimento, a produção terá que crescer, no mínimo, 61%. E o nosso país tem papel fundamental nessa transformação para garantir a segurança alimentar da população”. 

Roberto Simões enfatizou a necessidade da união entre o governo, iniciativa privada e a inteligência, representada pelas universidades e centros de pesquisa, para a prosperidade do agro. “A nossa solução está na união do esforço produtivo e do trabalho dessas três esferas. Dentro e fora das instituições, precisamos estar alinhados e cientes do nosso papel”, concluiu.   A mesa redonda entre os dois convidados foi mediada pelo diretor técnico do Sebrae Minas, João Cruz, e por Antônio de Salvo. 

O diretor técnico da CNA, Bruno Lucchi, participou de uma apresentação institucional com a diretoria do Sistema Faemg. Em sua fala, ele destacou que a união da classe produtiva contribui para ampliar a visibilidade sobre a sua atuação em prol do desenvolvimento do Brasil. “É desta união que são levadas entregas melhores ao produtor rural. A integração entre a CNA, o Senar e Sindicatos é justamente para ter uma comunicação mais fluida para que os desejos do produtor cheguem lá na ponta e a gente consiga materializar isso em normas e leis com aplicação prática para ele”. 


Também foi parte da programação as palestras motivacionais “Gerenciando sua empresa como uma orquestra”, com Raul Marinuzzi, e “0,5% melhor a cada dia”, com Leandro Figueiredo. Para encerrar o evento, o jornalista Caio Coppola abordou “O Agro e o Brasil – Realidades, narrativas e perspectivas”. 


Depoimentos

Rogério Arantes, gerente da Assessoria Sindical: “O evento vem ao encontro da nossa proposta de trazer toda a família do Sistema Faemg para Belo Horizonte, para interagir e conhecer melhor os nossos parceiros. É uma demonstração da força do agro mineiro. É o primeiro dos muitos encontros que pretendemos fazer.”

Elisabete Dias, secretária executiva do Sindicato dos Produtores Rurais de Prata: “Eu trabalho na entidade sindical há 36 anos e nunca tinha visto um evento dessa grandeza. É uma honra fazer parte do Sistema Faemg.”

Mário Guilherme Ribeiro do Vale (Maé), presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Guaxupé: “Foi uma oportunidade ímpar para o agro mineiro estar junto, celebrando este momento que o país está vivendo. Estamos em um bom momento para o setor, somos responsáveis por alimentar quase 15% da população mundial. Precisamos de um único ideal e caminhar juntos para deixar nosso legado às gerações futuras.”  

Isabela Teixeira, assistente regional do Sistema Faemg em Viçosa: “O encontro foi muito importante para fazer cada um que compõe o agro mineiro refletir sobre suas ações individuais e coletivas. É fácil perceber que, quando todo mundo canaliza a sua energia para um propósito em comum, o trabalho em equipe leva a resultados muito maiores. Então, acho que o encontro foi um momento de alinhamento, reencontros e perspectivas de resultados positivos nos próximos anos.” 

Gleiton Robson Gonçalves, mobilizador no Sindicato dos Produtores Rurais de Perdizes: “O encontro foi de excelência. Vamos levar muitas boas lembranças de tudo o que aconteceu e espero ter a oportunidade de participar de eventos como esse em outros anos também. As palestras motivacionais e todo o conteúdo apresentado foram enriquecedores e promoveram reflexões importantes aos envolvidos com o setor produtivo.” 

Sobre o Sistema Faemg

O Sistema Faemg conta com 207 colaboradores distribuídos na sede e nos dez escritórios regionais. São 418 mobilizadores - futuros Agentes de Desenvolvimento Rural, 599 instrutores especialistas nos mais variados setores do agro, 527 técnicos e supervisores do Programa de Assistência Técnica e Gerencial, 176 tutores, agentes de polo de ensino e coordenadores, que trabalham para levar educação formal, cursos técnicos e graduação, a mais de 2.700 alunos. No portfólio da instituição, constam 612 cursos e 26 programas especiais em parceria com 382 entidades cooperadas. 

Com o ATeG, o Sistema Faemg já atendeu a mais de 20 mil propriedades e realizou 340 mil visitas a produtores rurais. O programa é considerado referência nacional em profissionalização e qualificação. Outra atuação importante da instituição é o relacionamento com setores públicos e privados, para articular ações para defesa e representatividade dos produtores mineiros.