Compartilhe

Calibragem para o 6º Cupping ATeG Café+Forte

CUPPING ATEG CAFÉ+FORTE
ESCRITO POR GISELE NISHIYAMA, DE LAVRAS
11/08/2022 . SISTEMA FAEMG, SENAR

A qualidade do café que vai participar do tradicional Cupping de Cafés Especiais do Programa ATeG Café+Forte depende de uma complexa atividade sensorial que exige o treinamento do corpo técnico. Para tanto, no começo deste mês, especialistas do Sistema FAEMG passaram por calibragem na Cooperativa de Pequenos Agricultores de Santana da Vargem (Coopasv). O intuito é preparar os instrutores para participar das provas de café dos produtores participantes do concurso. Para os interessados, as inscrições vão até 9 de setembro.

Equipe reunida para garantir uma avaliação de qualidade - de camisa verde escura, a coordenadora do ATeG Café+Forte, Nathália Rabelo

Novidades

De acordo com o consultor master do ATeG Café+Forte, Henrique Frederico Santos, o Cupping deste ano trará inovações. “O novo formato está mais dinâmico e interativo. O cadastramento das amostras será feito pelo próprio produtor, por um aplicativo de celular desenvolvido pela startup Flowins e, ao final das provas, o laudo chegará imediatamente. Esta calibragem, além de capacitar os degustadores para a utilização do app, visa padronizar os perfis de prova de xícara. Estou bastante empolgado com o novo formato e com a expectativa de excelentes cafés”.

Para o gerente regional do Sistema FAEMG em Lavras, Rodrigo Ferreira, este nivelamento faz parte dos processos dos concursos realizados pela Federação. “Deste modo, conseguimos obter o resultado mais justo possível. E este ano, com esta novidade em parceria com a Flowins, vamos obter os resultados em tempo recorde, otimizando os recursos humanos e financeiros”.

Calibragem para o 6º Cupping de Cafés Especiais do ATeG Café+Forte

Alinhamento de processos

Para a analista técnica e coordenadora do ATeG Café+Forte, Nathália Rabelo, a calibragem é um parâmetro importante para ajustar e padronizar a qualidade das provas, ainda mais neste ano, em que elas serão realizadas em quatro locais diferentes: Caratinga, Boa Esperança, Manhuaçu e Passos. Por isto, “os provadores estarem conversando na mesma linguagem é de extrema importância para a excelência do nosso concurso”.

Sobre o treinamento, Nathália disse que foram dois dias muito produtivos, de boas discussões e que, ao final, todos saíram bem mais nivelados. “É muito gratificante ter na equipe do SENAR MINAS profissionais competentes e que estão sempre buscando o aprimoramento”, elogiou.

De acordo com Gilmar Reis Cabral, Q-grader e instrutor dos treinamentos de Classificação e Degustação de Cafés Especiais, Torra e Barista do Sistema FAEMG, o app citado por Henrique ajudará no lançamento das notas de forma simples e rápida nas mãos dos produtores. Ele também acredita que é importante as quatro cidades selecionadas estarem no mesmo protocolo de avaliação. Além disto, a calibragem “é uma ótima oportunidade para reunirmos todos para alinhar as provas tecnicamente sobre os perfis de café desta safra e regiões.”