Conheça a FAEMG

A FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) defende os interesses dos produtores rurais do estado.

Crédito Rural

Veja informações sobre os financiamentos destinados aos produtores rurais, cooperativas ou associações para fomentar a produção e comercialização de produtos agropecuários.

Meio Ambiente

Acesse informações técnicas sobre a gestão ambiental na atividade agropecuária em Minas Gerais.

Informações Jurídicas

Acesse os documentos disponibilizados pela Assessoria Jurídica para auxiliar os produtores rurais.

Contribuição Sindical
Leiloeiros Rurais

Veja todas as informações sobre os leiloeiros rurais do estado de Minas Gerais.

Compartilhe

Sistema Faemg participa de evento pré-COP27

MEIO AMBIENTE
ESCRITO POR FERNANDA TEIXEIRA
28/09/2022 . SISTEMA FAEMG, SINDICATOS, SENAR, INAES, FAEMG
Sistema de Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF): atividade sustentável no agro - Imagem: CNA

O Sistema Faemg esteve presente, na manhã desta quarta-feira (28/9), no seminário virtual para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-27), que acontece em novembro, no Egito. A partir do encontro, promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), será elaborado um documento técnico para levar o posicionamento dos produtores rurais nas negociações do Acordo de Paris e mostrar as ações da agropecuária brasileira que conciliam produção de alimentos com sustentabilidade ambiental.

“Destaco dois pontos importantes. O primeiro é a iniciativa da CNA tomando a frente do produtor rural brasileiro, para que a gente tenha uma representatividade boa na COP -27. O segundo diz respeito à participação de Minas, ainda que com uma delegação pequena, mas que estará atenta a todos os pontos, checando se não vamos retroagir em nenhuma das pautas que estão sendo discutidas esse ano. O encontro de hoje foi uma primeira reunião que teve um bom nivelamento, mostrando a importância de continuarmos atentos às questões ambientais que afligem não somente Minas Gerais, mas o Brasil como um todo”, diz o presidente do Sistema Faemg, Antônio Pitangui de Salvo.

Para a assessora de Sustentabilidade do Sistema Faemg, Ana Paula Mello, a pauta climática tem impulsionado diversos comportamentos, muitas vezes divergentes, no âmbito de países, governos locais e setor produtivo. “Por isso, a Faemg está atenta às pressões dirigidas à moderna agropecuária tropical, que alimenta o mundo, bem como às oportunidades para o produtor, e ainda para mostrar a sustentabilidade do setor, ímpar no mundo”, destaca.

“E os produtores rurais mineiros têm grande importância nos resultados que serão levados, pois eles preservam cerca de 80% da vegetação nativa do estado em seus imóveis rurais, de acordo com dados do Cadastro Ambiental Rural”, complementa a gerente de Sustentabilidade, Mariana Ramos.

Sistema Faemg participa de seminário virtual preparatório para a COP-27

Palestras

O presidente da CNA, João Martins, abriu o evento ressaltando que ele representa o início de uma jornada rumo aos objetivos do acordo mundial sobre as mudanças climáticas, que irá pautar o desenvolvimento econômico, social e ambiental do mundo nas próximas décadas. “Temos o grande desafio de retomar o crescimento econômico pós-pandemia, para garantir segurança alimentar e energética com menor emissão de gases de efeito estufa. Este cenário, apesar de impor pesadas obrigações, também acena com oportunidades para o Brasil, que é um país gigante em biodiversidade e sustentabilidade, particularmente da atividade agropecuária, que se adequa à mais rigorosa legislação ambiental e pratica uma agricultura de baixa emissão de carbono”, ressaltou.

A programação contemplou as palestras “Como chegamos à COP-27: o racional do Acordo de Paris”, proferida pelo sócio-diretor da Agroícone, Rodrigo Lima, “O multilateralismo climático e o estágio atual das negociações”, proferida pelo diretor do Departamento de Desenvolvimento Sustentável do Ministério de Relações Exteriores, embaixador Leonardo Cleaver de Athayde, e “Acordo de Paris: objetivos, as contribuições nacionalmente determinadas (NDCs), Adaptação e Mercado de Carbono”, proferida pelo secretário de Clima e Relações Internacionais do Ministério do Meio Ambiente, Marcus Henrique Morais Paranaguá.

“Mais uma vez vamos participar da COP-27 com o protagonismo à altura da importância do agro brasileiro, tanto para a economia nacional, quanto para a sustentabilidade ambiental, para a segurança alimentar do Brasil e do mundo. E vamos mostrar a grande contribuição do produtor rural brasileiro para a sustentabilidade do planeta. Vamos mostrar o seu esforço em construir uma agropecuária baseada em incorporação de novas tecnologias, aumento de produtividade e diminuindo a pressão sobre o meio ambiente”, encerrou o presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente da CNA, Muni Lourenço.